segunda-feira, 18 de junho de 2012

Em busca da Rima Perfeita


Justiça seja feita
Alegria de poeta
É encontrar
A rima perfeita

Mas nem sempre
É possível
Encontrar a receita
Do impossível

Veja essas linhas
Imprevistos versos
Que traço agora

Se não há rima
Volto ao começo
Ou então, jogo fora.

Edson Simon

terça-feira, 8 de maio de 2012

Resenha no blog Vendedor de Ilusão

O autor do blog Vendedor de Ilusão, J.R. Viviani, postou uma resenha do meu livro Reaprendendo a Sonhar - O Jardim Secreto, confesso que fiquei muito satisfeito com seu texto rico em detalhes, evidenciando citações e personagens. Enfim uma resenha para instigar potenciais leitores.


SUMÁRIO DA OBRA:
O início do livro se dá com o protagonista Douglas Eufrásio, – um jovem executivo bem-sucedido, casado e pai de um menino de nove anos, narrando, ao se apresentar, reminiscências familiares de infância. Daí pra frente passa a narrar sua conversa com o taxista que o leva ao aeroporto para retorno à sua cidade natal no Estado de Santa Catarina, e todo desenrolar desse romance se dá durante esse trajeto. Empolgado com a atenção e a simpatia de Seu Alberto – o taxista – passa a contar as razões de ter vindo à grande metrópole. Quando entra outro personagem na história: Cláudio Gomes, – seu meu amigo de há tempos e companheiro de trabalho; um sujeito folgado, solteiro e “boa vida”. Cujos contatos eram sempre “regados” a uísque. Um dia quando veio – disse ao taxista – Cláudio o leva a um bar depois do trabalho, e lá bebem a “rodo”; empolgados com a conversa ao recordar os poemas que escrevia, era uma dose atrás da outra. Muitas doses depois, comete sua grande besteira, - aceita dirigir ao voltar ao hotel. Embriagado, acaba atropelando uma mulher a levando à morte e fugindo. Toda trama do livro, daí pra frente, gira em torno desse incidente.
Desse dia em diante, sua vida, sua realidade, se transformou completamente, – o poeta perdeu a rima. Perdeu a inspiração, perdeu a esposa, o filho, os familiares; a bebida tornou-se a sua companheira e sua vida um caos. Perdeu tudo o que mais amava, lhe dando absurdo remorso ao lembrar-se dos seus sonhos e aspirações.  

Sonhar é bom, entretanto viver o sonho é algo indescritível. Tem coisas que só o coração entende, não conseguimos explicar apenas com palavras”. pág. 20.

Entretanto, apesar de tudo, buscava ainda dar sentido à sua vida. Buscava esquecer aquela noite fatídica, mas, lamentavelmente, foi profundamente afetado, – já não era mais o mesmo.
Felizmente, chega a boa nova, e chega exatamente com o amigo – Cláudio, lhe sugerindo retratar tudo o que viveu em um livro – um romance, o que talvez fosse uma forma de se redimir do erro, não por ter atropelado, mas sim, por estar bêbedo e de ter fugido e, com isso, ter uma nova chance...   
Para isso, – para escrever o livro, buscava inspiração e acabou encontrando ao ouvir uma canção de Raul Seixas: “Movido a Álcool”. 

Veja, um poeta inspirado em Coca-Cola que poesia mais estranha ele iria expressar”. pág. 34

Era tudo o que mais precisava ouvir e mergulhou fundo nesse novo propósito, pois enfatizava sua vontade de mudar.
Nesse ínterim, outros personagens aparecem: Osmar – o Cabeça e Seu Jorge, reforçando e lhe dando mais inspiração para escrever. Não demora, entra outro personagem: Denise, uma moça que lhe toca suscitando desejo. Todavia, ao conhecê-la, a impressão da beleza dela que teve ao longe, vai por água-abaixo já se lembrando da frase de Machado de Assis em “Memórias Póstuma”:

Não digo que lhe cabia a primazia da beleza, pois o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos para as sardas e espinhas”. pág. 42.

A moça era atraente, sem dúvida, mas não era tudo aquilo que havia imaginado, mas, mesmo assim, acabam tendo relacionamento, principalmente pelo fato de tê-la livrado do ataque de um sujeito, o que acontece exatamente em um beco com muitos indigentes deitados pra cá e pra lá pelo chão. Pra surpresa, no meio desses tantos, vê Seu Jorge. Apesar de ser um indigente, pela simpatia e experiência de vida que o homem demonstrava acaba aceitando-o como seu mestre lhe orientando ao escrever seu romance exatamente no local em que o homem dizia ser o seu “jardim secreto”, – um terreno baldio entre edifícios. Com isso, com as orientações que recebia e pela admiração que passou a ter pelo homem, sua empolgação de escrever ganhava forças...
Encantado com o tal “jardim secreto” do homem, passou a valorizar ainda mais e entender melhor todas as coisas vividas, procurando retratá-las o quanto mais e enfatizando suas importâncias. Num dia daqueles, por vingança – imaginava, é atacado pelo mesmo sujeito que atacara Denise no beco ameaçando-o de morte com uma faca. Entretanto, depois de se livrar do sujeito identifica: era o mesmo sujeito que o viu cometer o atropelamento da mulher. Mas por que atacá-lo? – perguntava-se. Teria o sujeito alguma ligação com a mulher? Com as dúvidas busca saber quem era a mulher. E é quando descobre de que a mulher era simplesmente a mãe de Denise. O que fazer? Confessar ou não? Essa agora era sua dúvida crucial! Nessas tantas idas e vindas de pensamentos dúvidas e incertezas e de contatos com Denise, exatamente no “jardim secreto”, além de confessar, soube que Seu Jorge não era ninguém mais do que o pai dela e que se transformou em um indigente com o inconformismo pela morte da esposa. Se não bastasse, dias depois, vê cair por terra Seu Jorge, – morto a tiros por vingança, pelo mesmo sujeito que o havia atacado. Depois disso, sentindo a alma lavada por ter confessado seu erro tanto à moça como ao homem antes da sua morte, volta pra sua casa tentando se reconciliar com a esposa; não só o faz como termina de escrever seu romance e o tem publicado por uma editora.  

MINHA OPINIÃO:
Trata-se de uma história intrigante, forrada de mistério, enigmas e de sobressaltos instigando à leitura. Mas que, em essência, mostra como uma atitude irresponsável, inconsequente, pode, de uma hora pra outra, implodir levando a destroços tudo o que na vida se construiu. As narrativas são discorridas de forma soberba e com os personagens muito bem caracterizados. Um livro bem formatado o que facilita e torna a leitura agradável. Não usa os tradicionais capítulos, e sim, é subdividido em partes nomeadas como epílogos em uma novela. Gostei muito da obra e, portanto, julgo recomendadíssima. Não deixe de lê-la, pois vale à pena.     

Para adquirir o livro clique na capa na coluna: Recomendo indo ao site do autor e boa leitura! 

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Casa de rua


A rua oferece
Menos que se precisa
Ao menos se não se conhece
Outra versão da vida

A ponte, a calçada
Dão a impressão
De alma acomodada
Verdade deitada no chão

Da sociedade a agrura
Panorama da realidade
Fome evidente

Na vagueza da rua
Exibi-se a liberdade
Mas é tão curta a corrente.

Edson Simon

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Uma bala perdida


Uma bala perdida
Perdeu-se uma bala
Perdeu-se uma vida

Uma bala não tem pai
Não tem mãe
Não tem nada

Uma vida
tinha tudo
Tinha vida

Um disparo sem direção
na contramão
de um vida vivida.

Edson Simon

terça-feira, 24 de abril de 2012

Filme Uma Semana (one week)

Muita gente já deve ter tido a idéia de pegar uma moto e cruzar o país em busca de aventuras. Nesse filme, Ben Tyler, após ser diagnosticado de câncer ao invés de procurar o tratamento compra uma moto e cruza o Canadá em busca de respostas para o que realmente quer da vida, frente a um relacionamento e emprego que o deixam insatisfeito. O filme é simples no roteiro e suave em seu humor, mas o que ele capta na lente da câmera é precioso: a chuva caindo sobre o musgo verde-azulado das florestas de Ontário, a neblina poeirenta de um pôr do sol na pradaria, está tudo lá, é tudo lindo.
Na trilha sonora: Melissa McClelland, Sam Roberts, Wintersleep, Stars, Emm Gryner e outros grandes da música canadense.
Fotografia e trilha sonora impecável. Enfim um filme que nos faz pensar.

Trailer



Ficha Técnica

Título Original:One Week

Direção:
Michael McGowan (II)
Roteiro:
Michael McGowan (II)
Produtores:
Jane Tattersall, Michael McGowan (II), Nick de Pencier

Estreia no Brasil:




























Gênero:
Aventura, Drama
País de Origem:Canadá

Duração:94 minutos
Estreia Mundial:2008






Esmola


Uma mulher pobre vai à luta
Segurando o filho como escudo
E a esperança na outra mão
Com o intento de atingir o inimigo
Bem no coração.

Edson Simon

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Rascunho


O poema sorve
Lentamente
Gota a gota
O suor da emoção.

Uma mão prepara
Apressadamente
Letra a letra
Uma breve composição.

É como se gotas
Já fossem versos
Enquanto frios
No calor do coração.

Ora encontrado em livros
Ora no pensamento vivo
Ou até quem sabe, então
Um papel sujo, amassado no chão.

Edson Simon